R: Nossa Senhora do Rosário, s/n - Centro de Convenções - Serra Negra/SP
Atendimento: Seg a Sex - 09h 11h - 13h as 17h
0800 770 5488 | (19) 3892-2024
Atendimento
Seg a Sex - 09h 11h - 13h as 17h
0800 770 5488 | (19) 3892-2024
Funcionamento
Seg a Sex - 08h as 17h

Projeto desta Ordem - 14/03/2016

PROJETO DE LEI Nº 29, DE 2.016.


 


(Dá denominação à Via Pública)


 


 A CÂMARA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA DE SERRA NEGRA DECRETA:


 


 Art. 1º As Ruas A e C do desmembramento Bem-te-vi, Chácara Nhozinho, Serra Negra/SP, passam a denominar-se RUA ALDEGUNDES FAGUNDES.


 


 Art. 2º Fica o Poder Executivo autorizado a proceder à confecção da placa indicativa respectiva da referida denominação.


 


 Art. 3º As despesas decorrentes com a execução da presente Lei, correrão por conta de verbas próprias do orçamento vigente, suplementadas se necessário.


 


 Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


 


 Art. 5° Revogam-se as disposições em contrário.


 


 Câmara Municipal da Estância Hidromineral de Serra Negra, 29 de fevereiro de 2.016.


 


 


VER. DEOCLÉCIO ANGHINONI


 


 


ALDEGUNDES FAGUNDES, nascido neste município em 07 de janeiro de 1928. Filho do senhor José Fagundes e Sebastiana Cardoso Fagundes. Casou-se com a senhora Rosa Moraes de Oliveira Fagundes. Seus filhos Aldegundes Carlos, casado com a senhora Neusa Benedita Cardoso Fagundes, Airton Fagundes, Arlete casada com o senhor Fernando Toledo Ottoni e Adilson Fagundes, seus netos, Ana Caroline, Maria Luiza, Adolfo Henrique, João Paulo, João Pedro, João Arthur e Mariana.


Menino, acompanhava a jornada diária de trabalho de seu pai, que era zelador de Cemitério Municipal, crescendo e criando o vínculo de grande amor e respeito com o Campo Santo, no qual a Família Fagundes tornou-se tradicional e referência no zelo daquela necrópole.


Nas horas vagas de seu pai que o orientava e ensinava na arte de fabricar vasos, bancos, balaustres, caixas daguas, tanques para lavar roupas, em artefatos de cimento e granilites, não demorando muito, adquiriu uma prensa para fabricar ladrilhos hidráulicos.


No dia 21 de abril de 1945 concretiza parte de um sonho, a oficina artística de mármores, granitos e artefatos em cimento, denominada Marmoraria Nossa Senhora do Rosário.


Sempre com muita atenção no Campo Santo, continuava a construir jazigos, e quando contratado revestia-os em mármores ou granitos.


Na década de 1960, inconformado com a falta de alinhamento e planejamento existente no Cemitério Municipal, elaborou um plano para refazer algumas quadras e ruas.


O prefeito da época viu a necessidade para tal reforma, e com este projeto aumentaria o tempo de utilização do cemitério. Devido a conduta, respeito e conhecimento profundo das localizações das sepulturas, foi orientador deste grande projeto. Em outra década, outro prefeito com grande visão, aumentou grande faixa do terreno, aproveitando a formação do atual velório. Com isto, as carneiras alinhadas e modernizadas com lajes móveis, elaboradas por ele.


Tornou-se referência de modelo para toda região, para organização dos seus cemitérios. Em nossa região o Jardim da Saudade é o único cemitério que tem espaço de terreno para ser construir novas carneiras.


Com muito amor a nossa estância, ele avançava em outras regiões e estados, fazendo seu trabalho de mármores e granitos, sempre colocando o nome da amada cidade e comarca de Serra Negra, a frente de seu nome.


No dia 04 de dezembro de 1988, a Câmara Municipal através de um Projeto de Lei do vereador Nelson Del Buono, homenageia-o com o Título de Mérito Fundador Lourenço Franco de Oliveira, em reconhecimento aos relevantes serviços prestado ao município.


Em 09 de maio de 2003, em cerimônia da ASSIM – Associação da Imprensa de Serra Negra, nos salões do Serra Negra Esporte Clube, foi homenageado por esta instituição, e todos os ex-prefeitos e prefeito, demais cidadãos serranos, saudaram em pé, com muitas palmas, este Grande Homem que tornou-se um membro importante para nossa sociedade, tendo o reconhecimento de sua dedicação árdua e voluntária a todas as famílias serranegrenses.


No dia 20 de junho de 2010, o físico não está entre nós, mas são vivos seus exemplos, obras e procedimentos.


Humildade, honestidade, eficiência e tantos adjetivos compunha a personalidade dele.


Os que conheceram o senhor Aldegundes, quando em vista ao cemitério não deixam de lembrar os momentos de conforto passado por ele, em uma hora de grande dor.


 


 


---------------------------------------------------------------------------


 


 


PROJETO DE LEI Nº 34, DE 03 DE MARÇO DE 2016.


 


 


(Dá denominação à Estrada Municipal)


 


 


 A CÂMARA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA DE SERRA NEGRA DECRETA:


 


Art. 1º A Estrada Municipal que tem seu inicio na Estrada Municipal Romão Francisco Massaro, dá acesso a várias propriedades rurais, com o término na propriedade da família Beraldi, Bairro das Tabaranas, Serra Negra/SP, passa a denominar-se ESTRADA MUNICIPAL ROBERTO DE MORAES PADULA - BERTÃO PADULA.


 Art. 2º Fica o Poder Executivo Municipal autorizado a proceder à confecção da placa indicativa respectiva da referida denominação.


 


 Art. 3º As despesas decorrentes com a execução da presente Lei, correrão por conta de verbas próprias do orçamento vigente, suplementadas se necessário.


 


 Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


 


 Art. 5° Revogam-se as disposições em contrário.


 


 Câmara Municipal da Estância Hidromineral de Serra Negra, 03 de março de 2.016.


 


 


 


VER. RICARDO FAVERO FIORAVANTI 


 


 


 


ROBERTO DE MORAES PADULA


 


Nascido em 27 de janeiro de 1940, no Bairro do Brumado, município de Amparo, filho de Antonio Joaquim Padula e Rosa Rodrigues de Moraes, é neto de imigrante italiano que veio para Serra Negra no final do século XIX (dezenove), onde iniciaram como agricultores no Bairro dos Leais.


Conhecido popularmente como Bertão Padula, além da agricultura trabalhou com comércio de carnes bovina em toda a região, com estabelecimento comercial em nossa cidade no Mercado Municipal.


Foi participante ativo da sociedade local, com destaque por ser um dos fundadores da Equipe Casco de Ouro, onde exerceu a presidência da agremiação por vários anos, e juntamente com os demais componentes deu um novo formato ao rodeio da cidade, tornando a festa uma das mais conhecidas de nosso país.


Era casado com a professora Maria Hermínia Coviello Padula, sendo fruto dessa união três filhos, Roberto Junior, Rodrigo e Ronnie, e 06 (seis) netos, Enrico, Isabella, Giulia, Letícia, Giovana e Helena.


Faleceu no município de Campinas em 13 de fevereiro de 2011.


 


 


---------------------------------------------------------------------------------------


Desenvolvido por Frequência